Publicado em: 15 de maio de 2019

Imunoterapia no tratamento do câncer: veja quando é indicada

Imunoterapia para o tratamento do câncer é de uma forma bem simples, uma maneira de combater o problema utilizando o próprio sistema de defesa do corpo para atacar as células do câncer.

Para entender como a imunoterapia funciona, é preciso saber um pouco de como o câncer age no organismo. As células do corpo nascem, se desenvolvem, multiplicam e morrem, sempre de forma ordenada e proporcional, contudo, se elas passam a crescer de forma descontrolada e não morrem na mesma medida, temos a formação de um tumor.

Os tumores podem ser benignos ou malignos, graves ou não, dependendo do local que estão crescendo e da sua capacidade de se espalhar para outros órgãos (metástase). O comportamento do tumor determina se será necessário tratamento e qual, uma vez que cada tipo de câncer pode responder melhor ou pior a um tipo de tratamento.

Alguns tipos de câncer são capazes de driblar o sistema imunológico usando uma espécie de “camuflagem” para não ser notado, ou então “desligando” os mecanismos do corpo responsáveis por identificar que há algo errado com aquela célula.

O tratamento dá ferramentas para o sistema imune enxergar essas células e combatê-las mais fortemente, por meio de medicamentos orais ou injetáveis, portanto, o tratamento com imunoterapia pode ser feito basicamente de duas formas:

  • Estimulando o próprio sistema imune do paciente a trabalhar mais fortemente contra as células do câncer.
  • Oferecendo ao sistema imunológico componentes feitos em laboratório, como proteínas do sistema imune.

No Brasil o método é aprovado para tratar melanoma, câncer de pulmão e linfomas.

Os principais tipos de imunoterapia usados no tratamento do câncer são:

-> Anticorpos monoclonais: São versões artificiais das proteínas do sistema imunológico. Os anticorpos são úteis no tratamento do câncer porque podem ser projetados para atacar uma parte muito específica de uma célula cancerosa.

-> Inibidores do controle imunológico: Esses medicamentos basicamente eliminam os freios do sistema imunológico, ajudando a reconhecer e atacar as células cancerígenas.

-> Vacinas: São normalmente produzidas a partir das próprias células tumorais do paciente ou de substâncias coletadas a partir de células tumorais. As vacinas utilizadas no tratamento do câncer são diferentes daquelas usadas para a prevenção de doenças.

Fonte: Direto da Redação com informações do site Minha Vida

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *