Publicado em: 10 de fevereiro de 2019

Falta de infraestrutura em rodovias prejudica entrega da soja produzida no Maranhão

Caminhoneiros que transportam a safra de soja produzida no sul do Maranhão estão enfrentando inúmeros problemas para conseguir entregar o produto em outros municípios e estados do Brasil. As principais rodovias usadas para o transporte da carga estão em péssimas condições estruturais, atrasando o escoamento da produção e até provocando acidentes.

O trabalho da colheita de mais de 650 mil hectares de soja começou em fevereiro e deve se estender até o mês de abril. Mesmo com a boa expectativa, os produtores estão preocupados com os prejuízos que possam ter, causados principalmente, pela demora na entrega do produto que é transportado em rodovias federais e estaduais que estão condições precárias.

Com o início do período chuvoso no estado, os trechos das rodovias onde eram somente buracos se transformaram em lama, que atola os caminhões que transitam pelo local. O caminhoneiro Alexandre Paulo, teve que interromper a viagem após ter ficado atolado em um trecho da BR-324 na rodovia Transamazônica que liga o município de Balsas, no Maranhão, a Ribeiro Gonçalves, no Piauí.

Eu atolei eram 11h e saí por volta das 15h, e agora mais uma vez. A estrada desse jeito não tem condições de transportar não, a situação está difícil. Inventaram de arrumar a estrada logo no período de chuvas, quem já viu isso? Arrumar a estrada nesse período é a primeira vez que eu vejo, tem que arrumar antes, né? Ai colocaram um barro, nem piçarra é. Quando a máquina passa por cima, tá legal mas quando a carreta passa atola”, disse.

Trechos em rodovias estão sendo recuperado por uma parceria do Governo do Maranhão e os produtores da região. O serviço emergencial de tapa buracos está sendo realizado durante o período chuvoso e, após as chuvas, os buracos se transformam em armadilhas para quem transita nas rodovias e atrasam as viagens. Na MA-006 que liga os municípios de Alto Parnaíba a Balsas, o trecho de 240 km está sendo feito em quase 10 horas de viagem.

Além dos problemas causados pela demora nas entregas de produtos e problemas mecânicos causados nos caminhões, os motoristas ainda precisam ficar atentos aos perigos causados pelos buracos que fazem parte de vários trechos das rodovias. Nesta semana, um caminhão tombou em um trecho que enfrenta problemas infraestruturais e a carga ficou espalhada na pista.

Um outro trecho na BR-230 entre Balsas e São Domingos do Azeitão os motoristas fazem manobras arriscadas para desviar dos buracos e evitar problemas mecânicos nos caminhões. Alguns chegam a ficar atravessados na pista, aumentando o risco de acidentes.

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) o contrato de manutenção do trecho da BR-230 está em fase de licitação e a BR-324, consta no Plano Viário Nacional como uma rodovia planejada, sem previsão para início da construção.

Segundo a Secretaria Estadual de Infraestrutura (Sinfra) as frentes de serviço que fazem a manutenção das rodovias federais estão ativas, dando condições de escoamento da safra de soja tanto pela MA-006 quanto pela BR-324.

Fonte: G1 maranhão

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *